Pode parecer uma ideia inteligente: você está comprando um bem e pode pagar a vista pela compra, o que significa que você nunca terá que fazer um pagamento mensal. Você deveria ir em frente e fazer isso, certo? Não necessariamente. Nós explicamos por que nem sempre é uma ótima ideia comprar um bem a vista, mesmo que você tenha condições de fazê-lo. Pois existem os consórcios e financiamentos que podem ser boas opções para suas necessidades.

Dinheiro x Consórcio ou Financiamento

Antes de entrarmos na questão de dinheiro versus financiamento, um pouco de pano de fundo é para compradores que não tiveram muita experiência em comprar um carro, imóvel ou outro bem novo.

Quando se trata de comprar qualquer bem, você geralmente tem três maneiras de fazê-lo. Você pode financiar sua compra, o que significa que você o paga ao longo do tempo; você pode entrar em um consórcio, pagando parcelas até ser sorteado; ou você pode pagar em dinheiro, o que significa que você compra o bem como se estivesse comprando em um supermercado e pagando diretamente pela sua compra.

A vantagem do financiamento e do consórcio é que você geralmente acaba com um bem melhor do que se estivesse pagando em dinheiro. Por exemplo, se o orçamento para a compra do bem for de R$8.000, você comprará um bem usado, geralmente, se pagar integralmente, mas se usar esses R$8.000 como pagamento inicial em um bem novo ou como lance em um consórcio, poderá ampliar seus horizontes de possibilidades. Se você tem um bom crédito, pode facilmente comprar muitas versões novas.

A única desvantagem é que você precisará fazer pagamentos mensais para pagar o empréstimo que lhe permitiu comprar o veículo mais novo e mais caro. Incluído nesses pagamentos está o juro, que é uma taxa que você paga ao banco por permitir que você peça o dinheiro emprestado em primeiro lugar.

Pagar à vista não é melhor?

O pensamento comum é que comprar um bem com dinheiro é melhor do que o financiamento ou consórcio porque você não terá que pagar juros. Afinal de contas, com um acordo em dinheiro, você paga exatamente o preço mostrado e não mais. Quando você está financiando ou em um consórcio, você tem que pagar o bem com juros, e isso significa que você vai acabar pagando uma quantia adicional em cima do preço de compra do bem Então, isso está correto?

Nossa resposta é: nem sempre.

Embora concordemos que comprar um bem à vista seja geralmente preferível ao financiamento, há muitas situações em que esse não é o caso. O melhor exemplo é se você se qualifica para uma taxa de juros favorável. Nesse caso, pagar à vista pode não ser a coisa mais inteligente a se fazer, porque você perderá muito pouco dinheiro financiando; você consegue manter seu dinheiro para outros projetos ou investimentos.

Por exemplo, digamos que você queira comprar um bem R$25.000 e você pode comprá-lo à vista. Se você quer gastar seu dinheiro, isso é ótimo: significa que você não terá um pagamento ou outro cuidado sobre o financiamento ou consórcio do bem. Mas digamos que você compre uma boa taxa de juros e termine com um financiamento de 1% por 3 anos depois de um adiantamento de R$5.000.

Nesse caso, você manterá as sobras de R$20.000 e, enquanto tiver um pagamento do bem, e o total de juros será de apenas R$300. A pergunta que você deve fazer a si mesmo é se vale R$300 para ter esses R$20.000 em sua conta bancária, em vez de ficar amarrado em sua compra. A maioria das pessoas prefere ter o dinheiro no banco ou investido, onde é provável que ganhem de volta a totalidade do custo do financiamento ou consórcio, que é de R$300. Use a CET do financiamento para comparar e calculadoras de financiamento para saber quanto você irá pagar de juros.

Opções para financiar

Compare consórcios e financiamentos para saber a melhor opção para seu bolso. (Foto: Drive)

Qual é melhor: consórcio ou financiamento?

Agora que já tratamos sobre o pagamento à vista de um bem, podemos analisar melhor a opção de um consórcio ou de um financiamento.

O consórcio e um financiamento tem muitos pontos em comum. Ambos envolvem o pagamento de juros ou custos administrativos e também uma cobrança de parcelas. Ambos envolvem, pelo menos em algum momento, a contemplação com o um bem, como um veículo ou terreno. Porém, é aqui que começam as diferenças.

Prazo para obter o bem

Em um financiamento, assim que você começa a pagar as parcelas, você já terá em mãos o bem comprado. Já em um consórcio, você só terá o bem quando for contemplado no sorteio, o que pode demorar muito ou só acontecer quando você terminar de pagar todas as parcelas. Se você tem dinheiro para fazer um bom lance no consórcio, pode valer a pena tentar ser contemplado.

Taxa de juros

Outra diferença é na taxa de juros que é paga, considerando aqui os custos administrativos do consórcio como uma taxa de juros. Em um consórcio, historicamente falando, os custos finais do bem serão mais baixos do que em um financiamento. Mas há uma vantagem para o financiamento aqui. Muitos financiamentos que admitem entrada permitem que a partir de um valor de entrada específico seja cobrada a taxa 0% de juros. Isso pode tornar uma compra por financiamento mais em conta do que um consórcio.

Parcelas

Em um consórcio, as parcelas são geralmente menores do que em um financiamento, e continuam assim mesmo quando você é contemplado. Porém, como dissemos antes, o Custo Efetivo Total (CET)  é que deve ser analisado no final das contas, para que você saiba quanto está pagando de “juros” (lembrando que consórcio paga taxas administrativa) e o custo final do bem que está sendo comprado.

Facilidade de aprovação

Ambos tem os mesmos requisitos para a aprovação, o que significa que você precisa de um bom histórico de crédito para poder ser aprovado. Porém, o consórcio tem se mostrado mais flexível nesse aspecto, facilitando a entrada de novos clientes.

Consórcio x Financiamento: a palavra final

Como mostramos, a diferença crucial entre os dois é o prazo para a obtenção do bem. Quem precisa do bem de forma mais imediata deve procurar como opção o financiamento. Quem pode esperar um pouco pode buscar um consórcio.

Acima de tudo, você deve pensar duas vezes antes de pagar em dinheiro quando estiver comprando um bem qualquer. Admitimos que comprar comprar um bem à vista muitas vezes é a opção certa, especialmente quando você não consegue encontrar uma boa taxa de juros ou o bem é relativamente barato. Mas achamos que, na maioria dos casos, é melhor procurar um bom financiamento ou consórcio antes de pagar á vista por um novo bem. A pesquisa e comparação são as chaves para não entrar em uma roubada.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)