Se você acabou de sofrer um sério revés financeiro, não se preocupe: você não está sozinho e há uma solução. De fato, uma queda do mercado de ações, um declínio no mercado imobiliário e o pânico bancário deixam muitas pessoas na mesma posição. E se a recente crise financeira não for suficiente para derrubá-lo, parece que muitas pessoas encontraram o caminho para um desastre financeiro através de rotas mais tradicionais, como divórcio, gastos excessivos, contas médicas ou coisas piores.

Sair da crise não é difícil

A realidade é que mais pessoas do que nunca enfrentam sérias dificuldades financeiras hoje, e uma boa parte delas está saindo de uma crise financeira hoje. Independentemente do que causou seu revés financeiro, seu caminho para a recuperação e a prosperidade exigirá um conjunto comum de etapas de ação.

Você pode acreditar que sua situação é única, mas muitos já percorreram esse caminho antes de você. O caminho para a recuperação financeira está bem percorrido, e as etapas para voltar após um desastre financeiro estão totalmente comprovadas.

Então, vamos começar o processo que ajudarão você a se recuperar de qualquer desastre financeiro …

1. Crise financeira: como superar aceitando sua situação?

O ponto de partida para a recuperação financeira é parar de se afundar em sua miséria e aceitar a realidade. Sim, é uma chatice. Sim, você provavelmente foi vítima de uma ação errada de outra pessoa ou até o governo. Sim, é devastador. O mais importante de tudo – nada disso importa agora. O que está feito está feito e não há como voltar atrás.

Resistir ao que já é um fato é inútil, por isso não desperdice sua energia. Aceite a realidade. Viver no passado apenas torna o progresso adiante mais difícil. Em vez disso, aceite o revés, solte-o e comprometa-se a avançar o movimento. Não porque é a coisa certa a fazer, mas porque é a melhor maneira de ajudar a si mesmo.

Enquanto você desperdiçar sua energia afundando em sua miséria, terá muito menos energia para se dedicar à solução dos desafios reais que enfrenta para avançar na vida. A melhor defesa é um bom ataque, então saia do modo defensivo e comece o caminho da recuperação com uma estratégia ofensiva clara.

Após crise financeira

Após uma crise, é importante reorganizar suas finanças e apertar as contas para se recuperar. (Foto: WeLoveSoLo)

2. Faça um inventário financeiro

O segundo passo para a recuperação financeira é fazer um inventário da sua situação atual. Você deve saber quais recursos você possui e quais responsabilidades enfrenta ao desenvolver seu plano de voltar da catástrofe. Você precisa saber onde está agora antes de poder desenvolver um plano realista para chegar aonde deseja ir no futuro.

Não é diferente do que usar um mapa para traçar seu caminho para um destino. Para planejar a rota para atingir sua meta, você deve primeiro localizar onde está agora no mapa. É a mesma coisa financeiramente – você deve definir seu ponto de partida com base no que é verdadeiro hoje.

Faça a si mesmo as seguintes perguntas para avaliar sua situação:

  • Quais são os seus ativos restantes?
  • Quanto você deve?
  • Quanto você gera por mês?
  • Quanto você gasta?
  • Qual é a sua pontuação de crédito?
  • Existem implicações a longo prazo para o desastre financeiro (pensão alimentícia, problemas de saúde, imposto de renda) que devem ser incluídas no seu plano de recuperação?

Saiba onde você está agora para que possa formar um plano para chegar aonde deseja ir. O objetivo nesta fase é fazer um inventário da sua situação atual. Você deseja saber tudo o que afetará seu plano de recuperação financeira para estar pronto para o próximo passo.

3. Defina seu objetivo financeiro

A terceira etapa do seu plano de recuperação financeira é definir seu objetivo ou meta. Você deve determinar para onde deseja ir financeiramente. Seguindo nossa analogia com o roteiro, esta etapa é semelhante à localização do seu destino final no mapa. Depois que você souber onde está e o destino final, é simplesmente uma questão de planejar o percurso para chegar ao destino.

Definir seu destino final é o mesmo que definir uma meta. O sistema “S.M.A.R.T.” de definição de metas fornece diretrizes úteis:

S – Specific ou Específico: deve haver um resultado final claro e definível. Por exemplo, “Quero ganhar mais dinheiro” é muito vago e geral, mas “Quero ter uma renda residual de R$5.000 por mês após impostos até 5 de janeiro de 2017” é específico e indica uma direção clara.

M – Measurable ou Mensurável: você deve ter uma maneira de medir seu progresso em direção à meta. No exemplo acima, a medida é em dólares de renda residual por mês. Também encorajo você a adicionar metas intermediárias ao longo do caminho para dividir grandes metas em pedaços mais realistas. Por exemplo, quanto de renda residual você deve ter daqui a um ano? Três anos? Cinco anos?

A – Attainable ou Atingível: existe um bom equilíbrio entre definir uma meta que amplie sua capacidade e ainda permaneça ao seu alcance. Se você definir uma meta fácil demais, não estará se desafiando. Se você dificultar demais, está se preparando para o fracasso. Uma meta projetada adequadamente alcança o equilíbrio perfeito que amplia sua zona de conforto sem estar fora de alcance.

R – Realistic ou Realista: se você tem dívidas com cartão de crédito, provavelmente não é realista definir a meta de se tornar milionário em 12 meses.

T – Timely ou Prazo: Um objetivo sem prazo é apenas uma ilusão. Você pode querer uma renda residual de R$5.000 por mês, mas, a menos que inclua uma data para que isso ocorra, ela não se qualifica como uma meta inteligente. É apenas uma ilusão. Dê a si mesmo um prazo.

4. Desenvolva seu plano

Agora que você tem seu objetivo de recuperação financeira e avaliou onde está hoje, o próximo passo é desenvolver um plano que preenche a lacuna entre onde você está agora e onde deseja estar.

Seguindo nossa analogia com o roteiro, você precisa descobrir o caminho mais eficiente para ir do ponto A ao ponto B.

É importante observar que você deve equilibrar a estratégia ofensiva e defensiva neste momento para manter o processo divertido e gratificante.

Por exemplo, um erro que muitas vezes vejo as pessoas cometendo ao pagar uma dívida é não fazer nada além de pagar uma dívida. O problema é que isso não é muito divertido ou muito gratificante para a maioria das pessoas.

Uma solução é equilibrar o pagamento de dívidas com a adição de um pouco de poupança de aposentadoria diferida ou outros ativos.

O motivo é experimentar alguma satisfação emocional, para que você se sinta recompensado pelo crescimento de ativos, o que aumenta suas chances de permanecer no processo a longo prazo.

Não somos robôs: nossas emoções fazem parte do processo e devem ser honradas.

5. Ação

O quinto passo – agir – parece óbvio ao lê-lo, mas, por algum motivo, ilude muitas pessoas na prática.

O motivo é importante porque um plano de recuperação financeira nada mais é do que uma ilusão até que seja convertido em ação.

Nada acontece até você agir. É onde a borracha encontra a estrada. Ação é o combustível que converte objetivos em resultados tangíveis.

Muitas pessoas sonham em melhorar sua situação financeira, mas poucas realizam ações consistentes, e isso faz toda a diferença. A capacidade de direcionar ações significativas de maneira consistente e persistente para alcançar um objetivo é o que separa as pessoas de sucesso daquelas que não o são.

6. Correções e ajustes

Ao agir, o único resultado que você pode ter certeza é que aprenderá com a sua experiência – e com os erros. Você aprimorará suas habilidades e se tornará mais experiente ao tomar uma ação. É por isso que você nunca deve tentar aperfeiçoar seu plano desde o início.

Em vez disso, comece com uma abordagem razoavelmente inteligente e com o curso correto à medida que aprende mais.

O sábio realizador de objetivos sabe que a perfeição é impossível, mas a correção é desejável; portanto, ele apenas começa da melhor maneira possível. Depois, ele se ajusta ao longo do caminho para atingir seu objetivo com mais rapidez e eficiência.

Raramente (quase nunca) o seu primeiro plano será o melhor, então não perca tempo tentando. Começar imediatamente é mais importante, porque você terá tempo de sobra para corrigir o curso mais tarde.

A perfeição é impossível – a correção é desejável. É isso aí – seis etapas simples que podem ajudar qualquer pessoa a virar a esquina após um revés financeiro. Agora que você sabe o que fazer, ter um plano de riqueza concreto para atingir suas metas financeiras pode ajudar a manter o foco.

E se você tiver outras dicas que deixei de fora, adicione-as na seção de comentários abaixo.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)