As reservas bancárias podem ser um tópico confuso para quem não possui experiência bancária e financeira. Neste artigo, explicaremos o que são reservas, por que existem e qual é o seu papel no sistema financeiro. Assim, vocês vão melhorar seus conhecimentos sobre as finanças do mundo e sobre seu próprio dinheiro.

O que são reservas bancárias?

As reservas do Banco Central são depósitos em reserva no Banco Central. No caso do Brasil, as reservas são emitidas pelo Banco Central. Isso geralmente é confuso para a pessoa comum que provavelmente nunca processará um pagamento com reservas. Isso ocorre porque o sistema de reservas é realmente apenas um sistema de pagamento para os bancos.

Assim, você pode pensar no sistema bancário como sendo de duas camadas. Existe o sistema de depósito que todos nós usamos. E o sistema de reservas é um sistema bancário que todos os bancos usam com contas no Banco Central.

Como são formadas as reservas bancárias?

Antes da criação das reservas bancárias, o sistema financeiro dependia amplamente da saúde dos bancos privados e dos sistemas de compensação privados. Quando um pânico financeiro irrompia, a economia frequentemente entra em profunda recessão ou depressão, em parte porque o sistema financeiro congelava. Os bancos se recusariam a fazer pagamentos entre si, o que afetaria o resto da economia e agravaria as crises.

Em 1907, houve um pânico especialmente ruim que exigiu um resgate privado por parte do JP Morgan. Isso levou a uma série de reformas regulatórias que resultaram na formação do Federal Reserve em 1913 e a consequente adoção do sistema de reservas federais no mundo todo. Esse sistema criou um Banco Central descentralizado que regulamentaria e melhor manteria o sistema bancário, estabelecendo um sistema de pagamento interbancário. Portanto, em vez de os bancos privados liquidarem todos os pagamentos, agora você teria um Banco Central ajudando a supervisionar e liquidar pagamentos entre os bancos.

Por exemplo, se o Banco X emprestar R$100 e o Banco Central exigir uma reserva de 10%, isso resultará no Banco Central criando um depósito de R$10 para o Banco X. Esse depósito é um ativo de R$10 para o Banco X e um passivo de R$10, uma vez que deve o depósito de reserva de volta ao Banco Central. Para o Banco Central, essas reservas representam um depósito de R$10 e um ativo de R$10 para o empréstimo.

O mercado de reservas bancárias

Como o sistema de reservas é essencialmente imposto ao sistema bancário, você pode pensar em todas as reservas como sendo “necessárias”. Ou seja, é necessária uma certa quantidade de reservas para que os pagamentos sejam liquidados todos os dias. Os bancos centrais tipicamente definem uma quantidade de “reservas obrigatórias” e qualquer quantidade excedente acima que é chamada “reservas excedentes”.

No sistema de hoje, existem reservas em excesso porque os bancos centrais expandiram seus balanços para comprar títulos em políticas. Mas é melhor pensar em todas as reservas como necessárias, uma vez que são emitidas pelos bancos centrais e a quantidade de reservas é essencialmente imposta ao setor bancário.

Definição das reservas financeiras

Reservas bancárias são obrigações das instituições financeiras perante o Banco Central para garantir uma segurança financeira. (Foto: BusinessWorld)

Sistema de pagamentos interbancários

É importante observar que a existência do sistema de reservas tem como principal objetivo liquidar pagamentos interbancários e facilitar a liquidação de transações. Isso é particularmente importante em tempos de pânico, quando os mercados interbancários privados às vezes se aglomeram. Ao manter esse sistema sob controle público, é improvável que o sistema falhe quando for mais necessário, porque as Reservas Federais não precisa operar com lucro para permanecer solvente. Isso reduz significativamente a instabilidade no sistema bancário, garantindo que os bancos sempre possam ter confiança ao processar pagamentos entre si.

Reservas financeiras e políticas monetárias

As reservas também desempenham um papel importante em ajudar o Banco Central a transacionar a política monetária. Como o Banco Central tem o mandato de garantir pleno emprego e estabilidade de preços, eles tentarão influenciar o sistema financeiro para otimizar essas condições. No processo, elas alterarão as taxas de juros e a quantidade de reservas nos esforços para estimular ou desacelerar a economia.

Atualmente, essas operações incluem a Quantitative Easing (aumento da oferta da moeda no mercado) e o pagamento de juros sobre reservas excedentes. QE é um processo pelo qual o Banco Central expande seu balanço patrimonial, aumentando assim a quantidade de reservas no sistema financeiro, a fim de influenciar as taxas de juros e as carteiras privadas.

Em tempos normais, o Banco Central influenciaria as taxas de juros, alterando a quantidade de reservas no mercado interbancário. Os bancos tentam emprestar suas reservas aos bancos com um déficit, maximizando assim os lucros, mas, como esse é um sistema fechado, os bancos nunca podem se livrar de suas reservas de maneira agregada. Isso pressiona as taxas de juros para que o Banco Central tente controlar essa quantidade para reduzir o desejo de emprestar.

No mundo de hoje com QE, há um excesso de reservas no sistema interbancário. Isso coloca uma enorme pressão sobre as taxas, de modo que o Fed deve fazer algo para colocar um piso embaixo disso. Eles fazem isso pagando juros sobre reservas. Isso elimina o desejo de emprestar as reservas a uma taxa menor do que o que o Banco Central pagará.

Analisando o sistema de Reservas Financeiras

Quando analisamos o sistema de reservas, é importante lembrar que as reservas bancárias são basicamente apenas uma grande câmara de compensação para ajudar a liquidar pagamentos interbancários. Mas também é importante observar que a única razão pela qual precisamos de um sistema de reservas é porque temos um sistema bancário competitivo e competitivo que pode se tornar instável às vezes. Este sistema é estabilizado em parte pela existência de um Banco Central que fornece liquidez e estabilidade quando os bancos mais precisam.

Em uma nota separada, mas relacionada, é útil ressaltar que os bancos não “emprestam” suas reservas, exceto um para o outro. Ou seja, a teoria do multiplicador de dinheiro que muitos de nós aprendemos nos livros econômicos é enganosa. Os bancos fazem empréstimos e encontram reservas após o fato. Se eles precisam emprestá-los do Banco Central ou de outro banco, eles fazem isso no setor bancário. Para saber mais sobre o básico do setor bancário, consulte aqui.

Os bancos também podem armazenar dinheiro como uma forma de reserva, mas, para fins práticos, é melhor pensar em reservas como empréstimos / depósitos eletrônicos, uma vez que representam a grande maioria das reservas.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)