As taxas de câmbio são o valor de uma moeda que você pode trocar por outra. Por exemplo, a taxa de câmbio do real informa quanto vale um real em uma moeda estrangeira. Por exemplo, se você viajar para o Reino Unido no início de 2020 receberia apenas 0,18 libras por cada real brasileiro. Você receberia um pouco menos do que a taxa de câmbio, pois os bancos cobram sua taxa de serviço. Por outro lado, uma libra valeria cerca de R$5,14.

O que é câmbio flutuante?

A maioria das taxas de câmbio é determinada pelo mercado de câmbio, ou forex. Tais taxas são chamadas taxas de câmbio flexíveis. Por esse motivo, as taxas de câmbio flutuam momento a momento.

Taxas flexíveis seguem o que os comerciantes estrangeiros acham que a moeda vale. Esses julgamentos dependem de muitos fatores. Os três mais importantes são as taxas de juros do banco central, os níveis de dívida do país e a força de sua economia.

O Brasil permite que seu mercado cambial determine o valor do real brasileiro com pouca ou nenhuma intervenção do Banco Central. O real brasileiro teve uma certa desvalorização nos últimos anos. Isso ocorreu porque quando as bolsas de valores caíram em todo o mundo, os traders correram para a relativa segurança do dólar. Mas, por que o dólar estava seguro? Bem, basicamente o dólar se torna forte quando a demanda por ele sobe ou o valor do euro cai.

Apesar disso, a maioria dos investidores confiava que o Tesouro dos EUA garantiria a segurança da moeda global do mundo. O dólar assumiu esse papel quando substituiu o padrão-ouro durante o acordo de Bretton Woods de 1944. Essa é a razão subjacente do poder do dólar americano.

Taxa de câmbio

A taxa de câmbio fixa ou flutuante influenciará na relação de uma moeda com outras ao redor do mundo. (Foto: Medium)

O que é o câmbio fixo?

Quando a moeda de um país não varia de acordo com o mercado cambial, ela tem uma taxa de câmbio fixa. O país garante que seu valor em relação ao dólar, ou outras moedas importantes, permaneça o mesmo. Ele compra e vende grandes quantidades de sua moeda e a outra moeda para manter esse valor fixo.

Por exemplo, a China mantém uma taxa fixa. Ela vincula sua moeda, o yuan, a um valor direcionado em relação ao dólar. Em 29 de janeiro de 2019, um dólar valia 6,73 yuan chinês. Desde 7 de fevereiro de 2003, o dólar americano enfraqueceu contra o yuan. Um dólar americano poderia ser trocado por 8,28 yuan naquele momento. O dólar americano enfraqueceu porque pode comprar menos yuans hoje do que em 2003.

O governo dos EUA pressionou o governo chinês a deixar o yuan aumentar em valor. Isso permite que as exportações dos EUA tenham preços mais competitivos na China. Também torna as exportações chinesas para os Estados Unidos mais caras. O déficit comercial EUA-China mostra um enorme desequilíbrio a favor da China. Os Estados Unidos gastam mais comprando produtos chineses do que vendendo produtos americanos para a China. Como resultado, o volume de exportações da China para os Estados Unidos supera em grande parte suas importações americanas.

Em 11 de agosto de 2015, a China modificou sua política para permitir mais flexibilidade ao yuan. A China quer reduzir sua dependência do dólar. Ele também quer que o yuan seja mais amplamente negociado. A conversão de yuan em dólar é uma das taxas de câmbio mais amplamente monitoradas. Essas moedas são lastreadas pelas duas das maiores economias do mundo.

Nos últimos anos, há uma guerra comercial entre EUA e China para que esta situação mude, e estão sendo promissoras as negociações entre os dois países.

O Brasil e a Argentina já tiveram também câmbio fixo. Em ambos os casos, o câmbio fixo resultou no endividamento do país e consequências de longo prazo que foram e ainda são sentidas no mercado.

E quanto ao câmbio do Euro?

A maioria das taxas de câmbio é dada em termos de quanto vale um dólar na moeda estrangeira. O euro é diferente. É dado em termos de quanto vale um euro em dólares.

O euro enfraqueceu-se consideravelmente desde 22 de abril de 2008. Naquela época, o euro estava em sua máxima histórica. Isso porque o futuro da União Europeia e o próprio euro estavam em dúvida depois que o Reino Unido votou para deixar a União Europeia. Além disso, o Banco Central Europeu havia baixado sua taxa de juros. Isso reduziu as taxas bancárias para quem emprestou ou economizou em euros. Isso reduziu o valor da própria moeda.

O BCE anunciou sua versão de flexibilização quantitativa em março de 2015. Isso reduziu o valor do euro. O euro também enfraqueceu durante a crise da dívida grega. A história por trás da conversão de euro para dólar relaciona uma linha do tempo de sua força em declínio em relação ao dólar americano.

No entanto, o euro é especial. É a segunda moeda mais popular depois do dólar. Mais de 332 milhões de pessoas o usam como sua única moeda. A popularidade do euro deriva do poder da União Europeia. É uma das três maiores economias do mundo. Embora o euro não tenha sido adotado por todos os países da UE, nenhuma outra moeda chega perto de ser uma moeda global.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)