Primeiro, saiba que você não pode ser preso por não pagar suas dívidas (com exceção da pensão alimentícia ou no caso de estelionatários). E um credor não pode simplesmente pegar dinheiro da sua conta bancária ou pegar o seu salário. Para cobrar uma dívida, a regra geral é que a maioria dos credores comerciais deve primeiro processá-lo e ganhar um julgamento contra você.

Mas há uma grande exceção a essa regra: os credores não precisam processar primeiro se a dívida for garantida por garantias. Exemplos comuns são um financiamento de carro em que o carro que você comprou é garantia do empréstimo, ou hipoteca ou empréstimo imobiliário em que a própria casa é oferecida como garantia (embora ainda possa ser necessário que o credor vá para a justiça para reaver o bem).

Como você pode enfrentar alguns credores com conhecimento financeiro sofisticado e recursos legais, é importante que você entenda o status legal de cada um de seus débitos e o que são os direitos de cada credor.

Dívidas e credores se enquadram em diferentes tipos de categorias legais, o que significa que alguns de seus credores têm mais direitos para cobrar e uma maior capacidade de afetar negativamente você e sua empresa do que os outros. As duas principais categorias de dívidas e credores são garantidos e não garantidos.

Banco e penhora bens garantidos ou não garantidos

Um credor garantido é qualquer credor a quem você ou sua empresa tenha prometido garantias em troca de um empréstimo, linha de crédito ou compra. A garantia pode ser uma propriedade comercial, como estoque e equipamento, ou sua propriedade, como sua casa (desde que não seja seu único imóvel próprio), carro, moto, ou barco.

Há também “credores garantidos involuntários”, que são aqueles que entraram com uma garantia (ação judicial) contra sua propriedade porque tem um julgamento contra você ou você deve uma dívida fiscal.

De qualquer maneira, se você ou a empresa não puder pagar a dívida, um credor garantido poderá retomar ou executar o bem garantido, ou ordená-lo para ser vendido, para satisfazer a dívida. O valor obtido além da dívida deve ser retornado a você, no caso de haver algum “lucro” na venda do bem.

Um credor não garantido é aquele para quem nenhuma garantia foi prometida e que não entrou com um penhor. Normalmente, as dívidas não seguras incluem despesas com cartão de crédito e valores que sua empresa deve para estoque, material de escritório, mobília, aluguel e publicidade, bem como o devido por serviços como manutenção, conserto de equipamentos ou aconselhamento profissional.

Banco pode penhorar bens de dívidas garantidas

Muitas empresas e indivíduos tem dívidas garantidas. Esses normalmente prometem garantia para as linhas de crédito, e os proprietários de empresas muitas vezes prometem seus bens pessoais para dívidas comerciais. Indivíduos também fazem isso para conseguir empréstimos mais facilmente e com melhores condições. Vamos dar uma olhada na rapidez com que os credores podem ligar ou fechar em garantia quando uma dívida garantida não é paga.

Penhora de bens por divida bancária com garantia

Como você provavelmente sabe, se você perder um pagamento ou dois em seu financiamento de carro (e, como é típico, o empréstimo foi usado para comprar o carro e é garantido pelo carro), o credor tem o direito legal de fisicamente recuperar o carro e vendê-lo para recuperar o dinheiro que você deve, mais os custos da venda e os honorários do advogado. Para fazer isso, o credor não tem que obter permissão ou uma sentença judicial, apesar de ter de ordenar legalmente a recuperação do veículo. Sob os termos do contrato que você assinou com o credor, um representante pode simplesmente recuperar a propriedade do credor. Quando tudo estiver dito e feito, você ainda deve a diferença entre o que o credor vende. carro para e o que você devia no empréstimo, chamado de “deficiência”. Além disso, a reintegração de posse aparecerá em seu relatório de crédito, prejudicando sua pontuação de crédito.

Os carros são o tipo de propriedade mais comumente recuperada, mas se você emprestar dinheiro para comprar equipamentos ou máquinas comerciais e usar o equipamento adquirido como garantia, o credor terá os mesmos direitos de reintegração de posse. Além disso, alguns cartões de crédito da loja de departamentos determinam que o credor automaticamente assume uma garantia na propriedade que você compra, portanto, se você não pagar a conta, o credor pode tentar reaver a propriedade. No entanto, como os credores devem obter uma ordem judicial para entrar em sua casa ou empresa, a reintegração de posse de bens que não sejam veículos é rara.

Da mesma forma, com veículos ou equipamentos comerciais de um leasing, se você perder um pagamento de arrendamento, a propriedade alugada geralmente pode ser imediatamente recuperada.

Funcionamento da penhora

A penhora tem limitações legais, e alguns de seus bens estão protegidos mesmo quando você estiver em dívida. (Foto: Debt.org)

Se você tem uma hipoteca ou escritura de confiança em sua casa, ou uma linha de crédito aberta, você deve fazer os pagamentos em dia para manter o imóvel. Se você não fizer isso, o credor pode e provavelmente vai fechar em sua casa, porque é garantia de sua dívida. Mas as execuções não são tão rápidas quanto as recuperações de veículos.

Da mesma forma, se você prometer seu imóvel como garantia para um empréstimo de negócio ou linha de crédito e você não paga esse empréstimo, o credor pode vender o imóvel, desde que não seja o único imóvel que você tenha. Para evitar a execução do credor, você deve pagar a dívida ou, se a dívida for maior do que a sua participação no capital. a casa, pelo menos, pagar o credor dessa quantia para que ele não tenha mais uma razão para vender o imóvel.

Evitando as penhoras pelo banco

Se você está atrasado em sua hipoteca, você pode negociar uma modificação do empréstimo com o seu credor. Por exemplo, o credor pode concordar em adicionar os pagamentos perdidos ao saldo do empréstimo, alongar o empréstimo ou converter uma hipoteca de taxa ajustável em uma taxa fixa. Suas outras opções são vender seu imóvel por menos do que você deve (chamado de venda a descoberto), devolvendo a escritura ao credor, ou refinanciando.

Penhora de bens por dívida de cartão de crédito pode acontecer?

Os credores não garantidos, como as empresas de cartão de crédito e a maioria dos credores comerciais, devem primeiro processá-lo e ganhar uma condenação monetária contra você antes de pegar sua renda e seus bens. Isto é verdade se você é pessoalmente responsável pela dívida ou se apenas sua empresa é responsável pela dívida.

Normalmente, no entanto, antes de considerar seriamente uma ação judicial, um credor tentará cobrar a dívida por vários meses e depois entregá-la a um advogado ou agência de cobrança, que reiniciará o processo. Em alguns casos, o credor concluirá que você não tem propriedade suficiente que possa ser facilmente penhorada para pagar o julgamento e não se importará em processar.

Por exemplo, digamos que a sua casa vale menos do que você deve em sua hipoteca, o que significa que não há patrimônio para os credores. Suponha também que a sua loja de consignação tenha poucos bens de negócio e esteja a fazer tão mal que não se espera ter mais do que alguns dólares de rendimento estável que um credor poderia pegar. Seus credores, ou qualquer advogado ou agência de cobrança da sua dívida, podem optar por não processá-lo porque sabem que é improvável que recebam o julgamento em dinheiro.

Em vez disso, o credor pode simplesmente anular sua dívida e tratá-la como uma perda de negócios dedutível para fins de imposto de renda. Normalmente, em cinco anos, a dívida se tornará legalmente incobrável.

No entanto, você pode esperar ser processado se houver dinheiro significativo em jogo e tiver ativos pessoais ou de negócios valiosos (ou apenas ativos comerciais) ou se o credor espera que você adquira ativos significativos no futuro. Um credor pode te processar agora, mesmo você não tendo capital, para fazer um acordo quando sua condição financeira melhorar.

Resumindo, penhora por dívidas de cartão de crédito só podem ocorrer quando o banco ou instituição financeira te processar e ganhar a causa. Mesmo assim, há bens que não poderão ser penhorados.

O que um credor acha que vale a pena penhorar?

Quantias significativas de dinheiro ou contas a receber, valiosos equipamentos e propriedades comerciais e, se você for pessoalmente responsável por uma dívida, ativos pessoais valiosos como jóias, arte, colecionáveis, antiguidades, motocicletas, bicicletas caras, barcos ou férias. casa.

Não tente esconder ativos. Às vezes, por desespero, o proprietário de uma empresa tenta proteger ativos pessoais ou comerciais, dando-os a amigos e parentes ou tentando escondê-los dos credores. Embora poucos pequenos empresários tenham o conhecimento necessário para transferir dinheiro para uma conta bancária offshore, muitos tentam escondê-lo em nome de um pai, filho, colega de trabalho ou amigo. Não faça isso. Os advogados dos credores tem experiência em desmascarar esses ativos ocultos e, em casos extremos, essas táticas podem até mesmo dar origem a acusações civis e criminais de fraude.

Se um credor o leva a tribunal e vence um julgamento contra você, obviamente faz sentido pagar a sentença do tribunal antes de quaisquer outras dívidas sem garantia que você ainda não tenha sido processado.

Como um credor deve coletar um bem penhorado?

Coletar um bem penhorado é mais difícil do que ganhá-lo. Se um credor for a tribunal e tiver ganho uma decisão contra você por cobrança de uma dívida não garantida, teoricamente o credor poderá receber qualquer dinheiro na conta bancária da sua empresa, sua renda comercial e seus ativos para saldar a dívida. Se você é um único proprietário ou sócio, ou assinou uma garantia pessoal para uma dívida, o credor também pode receber dinheiro de sua conta bancária pessoal, bem como retirar sua propriedade pessoal para pagar a dívida. No entanto, para receber dinheiro ou bens, o credor deve primeiro localizá-lo e depois obter uma ordem judicial, que será executada para a penhora.

O credor não pode enviar funcionários ou ir pessoalmente te importunar ou realizar as cobranças. Isso deve ser feito pelo sistema legal.

Sobre os bens impenhoráveis

São bens impenhoráveis, ou seja, bens que não podem ser penhorados pelos credores:

  • Imóvel único de família
  • Os bens inalienáveis e os declarados, por ato voluntário, não sujeitos à execução
  • Os móveis, os pertences e as utilidades domésticas que guarnecem a residência do executado, salvo os de elevado valor ou os que ultrapassem as necessidades comuns correspondentes a um médio padrão de vida
  • Os vestuários, bem como os pertences de uso pessoal do executado, salvo se de elevado valor
  • Os vencimentos, os subsídios, os soldos, os salários, as remunerações, os proventos de aposentadoria, as pensões, os pecúlios e os montepios, bem como as quantias recebidas por liberalidade de terceiro e destinadas ao sustento do devedor e de sua família, os ganhos de trabalhador autônomo e os honorários de profissional liberal.
  • Os livros, as máquinas, as ferramentas, os utensílios, os instrumentos ou outros bens móveis necessários ou úteis ao exercício da profissão do executado
  • O seguro de vida
  • Os materiais necessários para obras em andamento, salvo se essas forem penhoradas
  • A pequena propriedade rural, assim definida em lei, desde que trabalhada pela família
  • Os recursos públicos recebidos por instituições privadas para aplicação compulsória em educação, saúde ou assistência social
  • A quantia depositada em caderneta de poupança, até o limite de 40 (quarenta) salários-mínimos
  • Os recursos públicos do fundo partidário recebidos por partido político, nos termos da lei
  • Os créditos oriundos de alienação de unidades imobiliárias, sob regime de incorporação imobiliária, vinculados à execução da obra

Esperamos não ter deixado dúvidas sobre a penhora. Caso tenha alguma pergunta, deixe nos comentários abaixo e iremos responder!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)